Trailer: A culpa é das estrelas!

Olá, pessoal!

Saiu ontem o trailer de um dos filmes mais esperados do ano: A culpa é das estrelas, baseado no livro do John Green.

E a vontadezinha de chorar, minha gente? Que faço com ela?


“Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados. Não sabe como sou grata por nosso pequeno infinito.”

Ambos me cativaram, apesar de achar que o Gus seria um pouco diferente (apenas fisicamente. Nas expressões ele é exatamente o Gus!). Ainda assim, assistir o trailer me fez lembrar da história e do que eu senti enquanto lia e… Preciso que julho chegue logo!

Ah! Aqui no blog eu fiz a resenha, falei de curiosidades do livro e de uma música inspirada que é realmente muito linda! :)

Até, pessoal!

Filmografia: antes de partir e até que a sorte nos separe 2!

IMG_3780Olá, pessoal! Mais filmes!
O primeiro assisti por indicação do meu bem (e depois ganhei o filme no ano novo! Melhor presente!), e o segundo assisti ontem, nos cinemas. :)

1. Antes de partir (2007):

Como acontece sempre que gosto muito de algo, não sei bem como falar desse filme. A história é simples: dois amigos improváveis e opostos (Carter e Edward Cole) são unidos pelo câncer e descobrem que só lhes resta 6 meses de vida. Então, eles fazem uma lista de coisas para fazer antes de morrer (literalmente) e viajam o mundo numa aventura.
O que me fez gostar desse filme não foi a história por si. Foram todas as sutilezas. Os detalhes… Foi um filme que não me deixou triste, mas me fez pensar e me fez sorrir. Ele aborda a relação pai-filha, esposo-esposa, fala sobre fé, sobre felicidade, e convida a olhar para trás e perguntar o que realmente de bom fizemos durante a nossa vida. Mas o que realmente mais me encantou é que o filme tem uma pequena conotação religiosa que, quando eu prestei atenção e entendi, me fez chorar ao final. Filme mui lindo!

Minha classificação: 4,5/5 estrelas (E esse eu já tenho na minha coleção! ♥)

2. Até que a sorte nos separe 2 (2014):

No primeiro filme, a história fala sobre Tino e Jane, milionários que perdem todo o seu dinheiro. No segundo filme, a história é parecida… Mas ainda melhor! Assisti esse filme nos cinemas e duas coisas me impressionaram:
1 – A quantidade de coisas que acontece no filme de forma conexa e genial (incluíndo a máfia mexicana, gogo boys, o grand canyon e o Anderson Silva!);
2 – … e tudo isso de uma forma absurda de tão engraçada.
Não é um filme com uma história impressionante. É um filme para rir, e rir até a barriga doer! Mais do que valeu a pena o ingresso no cinema. :)

p.s.: A Danielle Winits, que fez a Jane no primeiro filme, foi substituída nesse filme pela Camila Morgado porque ela está gravando a novela das 9 e não pôde ser liberada para o filme. No início, dá um “nó” no cérebro comparando as duas, mas depois acostuma! Confesso que preferia a Danielle, mas a Camila Morgado ficou bem parecidinha e também ficou ótima como Jane. :)

Minha classificação: 4/5 estrelas!

Filmografia: mensagem pra você e dezesseis luas!

IMG_3789Oi, pessoal!
Esses filmes eu assisti já tem um tempinho e esqueci de vir aqui falar deles. *shame*
Mas, ainda assim, espero que gostem! (:

1. Mensagem pra você (1998):

“Kathleen é a dona de uma pequena livraria e tem um namorado, Frank Navasky (Greg Kinnear). Porém ela se envolve com um desconhecido, NY152, com quem conversa todos os dias pela internet. Joe Fox também tem uma namorada, e é o proprietário de uma mega-livraria recém aberta que pode acabar com o negócio de Kathleen. Porém, ambos Joe e Kathleen tem mais em comum do que imaginam.”

Filme amorzinho.
Acho que o maior diferencial nos filmes antigos é que eles são únicos. Tudo o que vem depois é imitação de alguma forma.
Esse é o tipo de filme que a gente já viu inúmeros iguais, mas que não deixa de ser especial… Daqueles despreocupados, para assistir e ficar com um sorriso bobo no rosto depois.
Minha classificação: 3/5 estrelas!

2. Dezesseis luas (2013):

Lena se muda para a pequena Gaitlin (uma cidade do interior) e coisas estranhas começam a acontecer, principalmente quando ela se envolve com Ethan. Mas a verdade é: Lena é perigosa demais e seu destino é indefinido. Ela é uma bruxa e, ao completar 16 anos, será “convocada” para as trevas ou para o bem.

Eu sou facilmente cativada por um filme, mas tenho um sério problema com filmes sem lógica, sem coerência ou com más atuações. Nesse filme, tudo acontece muito rápido. As situações são claramente forçadas (como o amor inabalável do casal principal em, hm, dois dias), o desenvolvimento da história não é tão claro e a naturalidade com que as coisas acontecem me deixou incomodada. Quero dizer, você descobriu que sua namorada é uma bruxa. “Ah, tudo bem. Que legal!”. Qual é o sentido nisso?
De qualquer forma, as coisas melhoram do meio para o final do filme. Cria-se um ar mais “sombrio” (e alguns sustos!), e o filme ganha profundidade com o surgimento de outros personagens e novas explicações, além de uma grande reviravolta no final que conseguiu me surpreender.
A história do filme, por si, é boa (tanto que veio de um livro, certo?), mas acho que poderia ter sido melhor aproveitada. Me lembrou um pouco Crepúsculo numa versão piorada, mas ao menos a heroína desse filme é um tanto mais geniosa e interessante do que a Bella. (:

p.s.: Tenho que deixar aqui registrado meu elogio com a atuação da Emma Thompsom, que salvou o filme em inúmeras partes!
Minha classificação: 2,5/5 estrelas!

E é isso, pessoal!
Até mais! :)

Filmografia: O ataque

collage

1. O ataque (2013):

Fui assistir esse filme com a minha família inteira. Motivos pelos quais eu deveria tê-lo odiado:
1. Estava de salto alto, logo, meus pés estavam doendo;
2. O lugar estava lotado, o que me irrita bastante;
3. Fomos assistir um filme de ação. Não gosto de filmes de ação. (Muito pow-pow-pow, poucas situações inteligentes e lógicas)
4. Estava com dor de cabeça.

Mas daí as coisas mudaram depois de dez minutos na sala de cinema.
O filme fala sobre John Cale e sua filha, Emily Cale, que estavam na Casa Branca quando esta foi atacada por um grupo paramilitar dos tensos. O presidente corre perigo e cabe a John protegê-lo.
Olha, já vou adiantar: esse filme é incrível. Muito, realmente muito bom. Como sempre acontece com coisas que eu gosto muito, provavelmente terei dificuldades em falar sobre ele, mas vamos lá.

Esse filme é muito inteligente! O que me fascinou nele, além de todas as situações surpreendentes, é que ele é possível. Não um filme sensacionalista com aquele bocado de situações forçadas, típicas de filmes de ação. Não! Poderia acontecer hoje ou amanhã. O filme, além de ser de ação, fala também sobre poder: mostra a inteligência que pode ser usada para bem ou para mal; fala sobre o poder do dinheiro nas pessoas e suas consequências. Principalmente, fala sobre quão imprevisíveis as pessoas podem ser. Esses aí que estão ao seu lado, você realmente pode confiar? Quantos deles podem te trair amanhã?

Da mesma forma, mostra que as pessoas que realmente podemos confiar se mostram dignas em momentos extremos. Além disso, o filme fala sobre questões mais pessoais, como a relação de amor entre pai e filha do John x Emily. Lindo! “A Casa Branca tá explodindo e todo mundo vai morrer mas eu não saio daqui sem a minha filha”. Por último, é um filme bastante nacionalista. Me deu vontade de ter nascido nos Estados Unidos e dizer que esse país é meu e quanto orgulho eu sinto dele. Mostra extremamente o poder que os EUA tem de ressurgir do nada, de reerguer-se novamente, apesar de tudo – e isso é retratado no filme de uma forma muito bonita.

Entendem?

Pontos principais:
1. Mamãe disse que esse filme parece com Independence Day, no sentido do nacionalismo americano. Inclusive, é do mesmo diretor.
2. A cena da menina com a bandeira. Oh. O cinema inteiro estremeceu e eu chorei, vou dizer. Que cena linda, meu Deus!
3. O presidente é o melhor do mundo. Jamie Foxx fez um grande trabalho nesse filme, assim como o Tatum.

Minha classificação: 4/5 estrelas.
Para o que se propõe, é um filme acima da média. Gostei muito!
(Com exceção da cena da menina com a bandeira, que merece cinco estrelas fácil)


E vocês?
Já assistiram esse filme?

Até mais, pessoal, e obrigada por tudo!

Filmografia: são tempos difíceis para os sonhadores

collage

Amélie é uma moça parisiense (ai ai ♥) que trabalha em um café, leva uma vida pacata e normal e, um certo dia, descobre uma caixinha de “tesouros” escondida em seu banheiro.

Posso dizer com certeza que se existe um filme que defina tudo o que é bonito nessa vida, esse filme é Amélie Poulain. Só me arrependo de não ter assistido antes!
Esse filme é de uma sensibilidade gigantesca e única. Depois de encontrar a caixinha de “tesouros”, Amélie tenta encontrar seu dono para devolvê-la e, a partir disso, sua visão de mundo muda e ela se esforça para ajudar a todos. O que me impressionou foi a forma que ela encontra de fazer isso. Amélie é sutil, genial e tão doce! Me apaixonei pelo sorriso de canto que é só dela (e acho que poucas atrizes têm tamanha delicadeza… Talvez a Hepburn e só). E é fantástico porquê é um filme muito despretensioso, ao contrário da maioria dos filmes franceses cult e geralmente cansativos… É engraçado e prende até o final sem precisar de muito e sendo muito, ao mesmo tempo. E quão lindo é você passar a observar coisas pequenas e bonitas que você nem reparava?

Observações:
1. Queria poder falar sobre tudo o que eu achei de maravilhoso nele, mas não quero dar nenhum spoiler pra quem ainda não assistiu. ):
2. O filme tem algumas cenas, trechos e sugestões mais “pervertidas”. Nada demais, mas veja a classificação indicativa antes de assistir!

Vale mencionar que a fotografia do filme é linda, também. As cenas, os personagens, os lugares. Afinal… É Paris! A trilha sonora também! Sempre leve e suave. ♥

Minha classificação: 5 estrelas. (Quero na minha coleção logo!)

E vocês? Já assistiram esse filme? ;)

Outra coisa… Estou morrendo de saudades daqui mas eu não tenho tempo!! Anda difícil até para respirar… Final de semestre, né? Mas obrigada a todos os que continuam vindo aqui e apoiando o que quer que eu faça. Prometo voltar logo no ritmo normal! Obrigada por tudo, sempre!