Doando sangue!

IMG_20140117_174404Essa foto eu postei no meu instagram! :)

Oi, pessoal!
Nessa semana realizei algo que queria fazer há muito tempo: doar sangue. Eu fiquei absolutamente tão feliz quando saí do hemocentro, no final! Sabe aquela sensação boa de saber que você acabou de ajudar mais alguém? ♥
Quando cheguei em casa depois de doar sangue, fui tirar a foto do dia e o tema era “pequeno”. Eu gosto quando minhas fotos contam histórias sobre o meu dia a dia, sobre como me sinto… Então pensei: “pequeno”… furo! A foto acabou sendo essa. Algumas pessoas vieram me perguntar como tinha sido, se a agulha era muito grossa, se passei mal depois… Por isso achei uma boa ideia vir aqui e falar sobre como foi a minha experiência. Espero que possa ajudar mais alguém (:

Vou falar especificamente sobre a Fundação Hemocentro de Brasília, que foi onde doei.
Bom, para doar sangue há alguns requisitos básicos: dormir ao menos 6 horas (com qualidade) na noite anterior, não comer frituras com no mínimo 3 horas de antecedência, estar bem alimentado, entre outras coisas. (Você pode ver todas elas aqui!)
Doei sangue dia 17, mas foi planejado. Então, dormi bem durante a noite, comi apenas coisas leves e fui!

São 6 etapas até a doação:

1. Identificação.
No balcão principal, onde você apresenta sua identidade (importante não esquecer!) e se identifica. Lá eles perguntam se a doação é voluntária ou se você quer que seu sangue vá para alguém específico que está internado.

2. Pré-triagem.
Depois da identificação, essa etapa é para ver as condições físicas gerais do doador. Eles medem a pressão arterial, peso, altura e também coletam um pouco de sangue na ponta do seu dedo: esse sangue é analisado na mesma hora para detectar anemia.

3. Pré-lanche.
Feito a pré-triagem, você vai para a sala de espera e é orientado a beber no mínimo 3 copos de água e fazer um lanche. No meu lanche recebi um suco pequeno de caixinha, rapadura e biscoitos maizena. Esse lanche serve para dar mais energia ao doador.

4. Triagem clínica.
É chamada também de entrevista. Depois que você faz o lanche, você entra numa sala com um profissional de saúde e ele começa a te fazer várias perguntas sobre seu estado de saúde, alimentação, hábitos e outros. É extremamente importante ser totalmente sincero e honesto nessa entrevista, porque o seu sangue irá para outras pessoas e é preciso garantir a segurança e qualidade dele, não é?
Se todas as perguntas forem satisfatórias, você assina um caderno e depois confirma que o seu sangue é seguro para ser doado para outras pessoas.

5. Coleta!
A sala de coleta é uma sala separada com várias macas. Você se deita e apresenta sua identidade novamente.
O processo todo é muito parecido com quando tiramos sangue normalmente, exceto pelo fato de que na doação de sangue não estamos sentados e sim deitados.
O enfermeiro prendeu meu braço com um elástico (porque precisa fazer pressão para o sangue sair mais facilmente) e me deu uma bolinha para que eu ficasse apertando.
Depois, passou um líquido e um gel no meu braço várias vezes. Como o gel é geladinho, isso diminuiu a sensibilidade no braço.
Sobre a agulha e o furo: não é muito grossa e não dói. Juro! Claro que a agulha é um pouco mais grossa do que uma normal, mas nada muito maior. É bem rapidinho e você mal sente.
Por fim, o enfermeiro coleta de 400 a 490 ml do seu sangue e te faz várias recomendações para as próximas 24 horas. No meu caso, doei 470 ml na coleta + 30 ml na pré-triagem, o que significa que tiraram de mim mais ou menos uma garrafinha de água de sangue! hahahahahaha

6. Lanche.
Terminada a doação, é obrigatório você fazer um lanche ao final e permanecer lá por pelo menos 10/15 minutos. O lanche é um sanduíche, um iogurt, uma maçã e um suco. O motivo do lanche e da permanência serem obrigatórios é que, após a doação, você fica bem fraquinho e pode até desmaiar/dar tonteiras e, se isso acontecer lá você já é socorrido na mesma hora. E também porque precisa “repor” com alimentos o que perdeu!
Várias pessoas desobedecem essa regra e simplesmente vão embora, o que é errado. Inclusive, se alguma dessas pessoas desmaiar ou passar mal na rua, o hemocentro é responsável de ir lá buscar e cuidar dessa pessoa. O que custa ficar mais 10 minutos, não é? (:

dia 17

Este é o roteiro de doação e foi assim que aconteceu comigo. Tudo demorou pouco mais de uma hora, mas no dia que fui estava vazio. Dica: programe-se para ir em dias mais “calmos” e vazios também!

Acho que o maior “problema” de doar sangue é o depois e não o durante. Depois (ao menos comigo) a veia onde você tira o sangue fica doendo por um tempo e fica bem sensível, além do que você passa quase o resto do dia inteiro meio “zumbi”: cansada, mole, com sono. Eu me considero uma pessoa forte (nunca desmaiei na vida, por exemplo), e fiquei assim… Por isso é importante seguir as recomendações e dormir bem após a doação, tomar bastante água e se alimentar bem.

Agora, vou te dar algumas razões pra você ir doar sangue:

♥ Você pode salvar a vida de alguém. É um ato simplesmente tão bonito e altruísta.
♥ Mais do que salvar a vida de alguém que precisa de sangue imediato, seu sangue pode ir até para quatro pessoas. Os componentes do sangue (plasma, hemácia e plaquetas) que contém no sangue que você doar são fracionados e distribuidos de acordo com a necessidade do paciente que irá receber ;)
♥ Você não precisa trabalhar no dia que doar sangue.
♥ Se você for prestar concurso público e tiver doado sangue, fica isento da taxa de inscrição!
♥ É de graça!
♥ Você pode zoar seu amigo medroso e dizer que é mais corajoso do que ele. ;) {especialmente pra Kamilla-amorzinho!}
♥ Especificamente em Brasília, você nem precisa se preocupar em como chegar lá: basta ir até a rodoviária do plano e esperar o ônibus do hemocentro que aparece lá a cada dez minutos. Ele te leva e traz de graça para o hemocentro. (:
♥ Você, além de doar, ainda faz um check up completo: um tempo depois de doar, chega na sua casa um boletim com o resultado do exame do seu sangue. :)
♥ Para os mais jovens, há algumas vantagens. O hemocentro te convida para campeonatos de futebol, programas, ingressos de cinema e outros eventos com outros jovens doadores. Tudo para incentivar mais jovens a doar e recompensá-los de alguma forma.

Antes de doar, procure o site do hemocentro do seu estado e olhe as informações nele. É muito importante se informar antes de ir!
O site da Fundação Hemocentro de Brasília é esse.

E é isso!
Espero que eu tenha ajudado alguém que talvez tenha vontade de doar e não sabe como.

Meu próximo desejo agora é ser doadora de medula óssea. Espero poder fazer isso logo e vir aqui contar a experiência também! (:

Até e obrigada por tudo, pessoal, sempre!

Anúncios

14 comentários sobre “Doando sangue!

  1. Que lindo vc fazer isso e falar aqui, podendo estimular mais pessoas a fazer tbm ♥

    Eu nunca doei, tenho pensado bastante e acho que já estou preparada pra tentar!
    É meio complicado agora pq na cidade que estou não tem, mas vou me organizar pra ir assim que me estabilizar numa cidade maior. Confesso que tenho medinho, não tanto da agulha, mas de passar mal, pq minha pressão abaixa fácil, e já tive alguns probleminhas com isso. Mas vou reunir minha coragem e ir! hehehehe

    Acho super importante frisar a questão de seguir as recomendações! Se elas existem é pq certamente são necessárias.

    beijo linda!

    • Foi exatamente o que pensei ao fazer esse post, moça flor! Em ajudar mais gente, talvez ♥

      E olha, doe sim mas tenha cuidado, já que pressão baixa é sempre um problema… Você pode ficar fraca, desmaiar ou passar mal depois de doar sangue. Mas acho que se você for realmente descansada, bem alimentada e tranquila no dia nada de mal vai acontecer não! E eu acho que vale tão a pena. Tão, tão a pena!

      Exatamente! Acho graça de quem simplesmente ignora as recomendações e faz da maneira que quer, tipo.. sei lá, modo de uso de determinado produto. É engraçado quem acha que sabe mais do que uma empresa e um laboratório que estudou aquilo durante um booooom tempo, testou, viu reações.. Com certeza, se está lá é porque é necessária. ;)

      Um beijo enorme em ti, moça!

      {Ah, espero doar de novo mais 3 vezes esse ano *aloka do hemocentro* auhauhau Se você vir pra Brasília, talvez eu até vá contigo! :) }

      • Adorariiiiia ir contigo doar, e ir pra Brasília de novo em breve!
        Mas por enquanto vai ser complicado, começo o mestrado e aí já viu! Mas pode ter certeza que quando eu for te aviso e tentamos marcar alguma coisa (:
        E fica o convite pra vc visitar meu novo lar, Dourados, no Mato Grosso do Sul!

        beijo!

  2. Pingback: {Photo a day project} Semana 3 | Fotografando (sonhos)

  3. Que linda sua atitude Julia!.. <3 eu morro de medo de doar sangue tenho pavor de sangue desmaio tenho um treco ..kkkk brincadeira.. fiquei com vontade de doar também mas tenho medo de desmaiar .. sou muito molenga pra essas coisas.. mas quem sabe um dia faço! Eu amei sua atitude dando um bom exemplo a todos ;) Beijos

    • Obrigada, Gabi!

      Eu ri agora de você auhauhauahua Não discordo do teu medo não. Tenho uma amiga que também desmaia a toa e sei o quão ruim e perigoso é isso… Tem que se cuidar mesmo, moça flor! Saúde em primeiro lugar sempre. Mas olha, me apaixonei tanto por doar sangue que ando incentivando todo mundo.. auhauhauauha Quem sabe um dia, né?
      Obrigada de novo. ♥
      Beijo enorme em ti!

  4. ALGUÉM perguntou se a agulha é grande, né! hahahaha Só pode doar se tiver 18 anos, não é? Morro de medo dessas coisas (tirar sangue e colocar remédio na veia). Sempre fui medrosa, mas só tinha medo e aceitava numa boa.. até o ano passado. Eu tô com cálculo renal e acabei tendo uma crise, fui pro medico. Chegando lá ele passou dipirona + buscopam na veia (antes ele perguntou de eu tinha alergia a algum desses remédio e, não, nunca tive nenhuma reação alérgica). O enfermeiro veio, tirou meu sangue e foi aplicar o remédio. Ele não aplicou nem 1 ml e eu passei mal. Quase morri! Meu coração começou a acelerar, minha vista escureceu e comecei a colocar pra fora tudo que comi (se é que você me entende…). GRAÇAS a Deus e ao meu medo que o enfermeiro aplicou bem devagar (“moço, vai devagar, por favor!”). Tenho certeza que se fosse em uma dessas emergências malucas (onde quase não tem médico o atendimento é corrido) eles não teria essa preocupação de ir devagar. Fiquei imaginando o que teria acontecido se ele tivesse aplicado os 10 ml! Melhor não ficar pensando nisso. Escrevi um livro hahaha Desculpa! Parabéns pela sua iniciativa, o mundo precisa de mais pessoas como você!

    • Beles, menina, que saudade de tu por aqui! ♥
      Sim, você perguntou no flickr mas outras pessoas perguntaram no facebook auhauhauah

      Nops, pode doar a partir dos 16 (mas tem de ter autorização dos pais).
      E nossa, menina, sério mesmo isso? :o Eu também nunca tive reação alérgica a nada… Vou começar a ser mais cautelosa! E eu sempre tomo buscopam + dipirona na veia, porque tenho crises de enxaqueca :/
      Aliás, se cuide! Cálculo renal é um problema..
      Ainda bem mesmo que ele foi bem pouquinho, porque reações alérgicas são perigosas. Uma amiga minha ficou com a vida por um fio porque comeu camarão sem saber que era alérgica, daí a garganta dela inchou tanto que ela não conseguia respirar.. Foi horrível :/

      E obrigada. ♥

      p.s.: Aliás, adoro ler comentários-textos hahahahahaha!

Olá! Comente e volte sempre! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s