Um pouco sobre um dos melhores dias da minha vida até hoje

Na fila do show. Reparem o moço de costas, com a camisa dos The Beatles. Achei essa foto tão linda...

Na fila do show. Reparem o moço de costas, com a camisa dos The Beatles. Achei essa foto tão linda…

(Esse post vai ficar gigante. Não digam que eu não avisei)
Oi, pessoal!
Estava muito, muito ansiosa pra fazer esse post porque, como o título já fala, é um daqueles dias que você não esquece nunca. Daqueles dias que você lembra e sente vontade de sorrir, de chorar, de voltar e passar por tudo de novo! Ou seja: SHOW DO PAUL McCARTNEY!

Eu cresci com meu pais cantarolando os The Beatles pra mim (especialmente Mr. Postman e Hey Jude ❤), então foi natural começar a gostar depois de grande. E apesar de não poder ver realmente o meu quarteto no palco, pude ver um deles… Foi o primeiro show da minha vida. Eu esperei por esse dia há tanto tempo!

Viajei de Goiânia para Brasília com o meu bem, de ônibus. Tão felizes! Tão animados! Tão do jeito que tem de ser. E tudo bem da forma tradicional: uma barra de chocolate no bolso, sem levar mochila (ia atrapalhar na hora de pular), com ele tirando fotos minhas dormindo e me acordando fazendo cócegas pra não me deixar dormir mais… Hahahahahaha!
Chegando em Goiânia, pegamos um taxi e fomos até o Serra Dourada. Finalmente! (E ainda compramos blusas e bandanas!!)

collage Na fila, passamos o tempo rindo, feito bobos, e esperando os portões abrirem (chegamos 16h e eles abririam às 17h, mas acabou que abriram lá pras 19h30, mas tudo bem ahauahua). Tiramos um milhão de fotos e ainda conhecemos dois garotos na fila. Um deles, inclusive, filho de um professor que a gente teve no Ensino Médio (De Paula!). Mundo pequeno! auhauhauhau

❤

A mesma foto do início, mas pouco antes de abrirem os portões. Ahhh! Esperar o show com esse pôr do sol lindo...

A mesma foto do início, mas pouco antes de abrirem os portões. Ahhh! Esperar o show com esse pôr do sol lindo…

❤

E…
O show.

Entramos no meio do campo do Serra Dourada e eu estava num estado que beirava a insanidade. Depois, quando peguei o celular do meu bem pra ver as fotos do show, vi que ele tinha me filmado toda louca, correndo na frente de todo mundo pra ficar na grade da pista (é, ficamos na grade! Pena que a premium tava na frente e tal..), mas eu não tenho coragem de mostrar aqui não auhauhauhau Na verdade, filmamos muito. Ele filmou quando chegamos (E eu pulando e gritando também), quando entramos e filmou várias partes do show!
Eu pulei tanto, gritei tanto, cantei tanto e fui TÃO feliz naquelas quase três horas de show. Tirei poucas fotos porque, além da minha câmera portátil ser ruim e estarmos um pouco longe, me concentrei mais em aproveitar um dos momentos que eu sei que provavelmente nunca mais terei. E valeu tanto a pena!

12

264553_573856522654856_1756790092_n

OH, SIR PAAAAAUL!!!

934709_573855472654961_1505373315_n

934951_573857479321427_1619320827_n

944719_573856389321536_1445498678_n

Panorâmica ❤

945800_573856419321533_1246766111_n

945918_573855139321661_2012234467_nO Paul entrou no palco sorrindo, todo simpático e falando português. “Olá, Goiânia!”, “Boa noite, goianos!” com aquele sotaque britânico e falando de um jeito engraçado. Ele falou “Ô trem bão”, “Vocês estão gostando?” e várias músicas ele anunciou em português! Achei tão gentleman da parte dele se esforçar assim, porque ele poderia ter feito o show inteiro apenas em inglês. Mas daí não seria o Paul ❤
E durante o show, o tempo inteiro: “Vocês estão bem?” e sorrindo, fazendo graça.

Foram quase três horas de show e ele não parou uma única vez. Em pé, com uma guitarra (ou então, no piano), cantando. Vou dizer uma coisa: ele tem 19 anos, eu que tenho 70!

Essa foto não é minha. (:

Essa foto não é minha. (:

E um dos momentos mais legais do show:
Um ataque de louva-a-Deus invadiu o palco e dava pra ver mesmo de longe. Muitos, muitos mesmo! O Paul estava sentado no piano tocando my valentine (e milhares de balões vermelhos na platéia, que ele agradeceu depois ❤) e tinha um monte de  louva-a-Deus voando pertinho dele. O baterista ficou rindo! auhauahua Daí teve uma hora que ele mesmo parou um pouco no meio da música e abaixou a cabeça pra rir, não se controlou auhauhaua Um dos louva-a-Deus pousou no piano e depois no braço dele e continuou lá por mais umas duas músicas. O que ele fez? Deu nome pro louva-a-Deus!
“Olá, Harold. Harold, diga olá para o pessoal.” E colocou o bichinho no microfone. Hahahahahaha! OH, PAUL!

Comentário da Gi (uma amiga minha), quando eu falei desse episódio pra ela:
“É, não é todo grilo que tem um Paul McCartney pra chamar de seu!”  HAHAHAHAHAHA!

Foto que o próprio Paul divulgou. Ataque de insetos! hahahahahahaha

Foto que o próprio Paul divulgou. Ataque de insetos! hahahahahahaha

Ele começou com Eight Days a Week (tão rara dele tocar em show!!!), depois tocou Junior’s Farm e então All My Loving (que me fez pular, cantar e gritar até o fim da vida! Essa música me deixa TÃO feliz!). Foi a primeira vez que a platéia inteira tremeu e cantou MUITO junto, de verdade! Depois tocou Listen to What the Man Said e Let Me Roll It (… to you!). Daí tocou Paperback Writer e foi uma das mais legais! No refrão, todo mundo ficava gritando “PAPERBACK WRITER! PAPERBACK WRITEEEEEEEER!” e o Paul dando pulinhos. E dançando! Depois disso teve My valentine e o ataque de louva-a-Deus junto com Harold ❤.

My valentine e os balões vermelhos. (p.s.: essa foto não é minha!)

My valentine e os balões vermelhos. (p.s.: essa foto não é minha!)

Depois veio Nineteen Hundred and Eighty-Five (YEY!) The Long and Winding Road (que eu preferi ficar quietinha, escutando e prestando atenção na letra…).
E então, ele falou: “Eshta êh para Linda!” e começou Maybe I’m Amazed. 
“MAYBE I’M A MAN, AND MAYBE I’M A LONELY MAN WHO’S IN THE MIDDLE OF SOMETHING THAT HE DOESN’T REALLY UNDERSTAND! MAYBE I’M A MAN AND MAYBE YOU’RE THE ONLY WOMAN WHO CAN EVER HELP ME! BABY, WON’T YOU HELP ME UNDERSTAND?”
Essa música é tão, tão linda! Tão, tão maravilhoso!

Depois de tanto amor em Maybe I’m Amazed, o Paul tocou Hope of Deliverance, We Can Work It Out e Another Day! Daí começaram os primeiros acordes de I Love Her. Linda, linda, tão linda! Fiquei abraçada com o meu amor essa música…
E então… Blackbird.
O palco se elevou bem no centro e no fundo apareceu uma “lua” gigante com uma árvore, num fundo azul. O violão bem levinho… ESSE foi um dos momentos mais lindos do show. (Pena que a imagem não ajuda muito =/)

♥

Daí, o Paul falou “Esta é para o meu amigo John” e começou a tocar Here Today.  Foi triste… Foi mesmo. Só de prestar atenção na letra me deu vontade de chorar e o palco ficou escuro, com uma única luz no Paul. Oh, John. Oh, Paul. )’:

Então, pra acabar com a depressão e o momento triste, Your Mother Should Know e Lady Madonna! Todos dançaram muito, principalmente em Lady Madonna, hahahahaha! Daí o Paul falou “Essa é para as crianças” e começou a aparecer vários bichinhos fofos no telão atrás e All together now começou. “1, 2, 3, 4, Can I have a little more? 5, 6, 7, 8 9 10 – I love you! ❤” e todo mundo gritando “ALL TOGETHER NOW! ALL TOGETHER NOW!” no refrão e dançando. Tão divertido! Nessas horas fica todo mundo tão alegre e feliz e canta com uma força tão grande e deixa tudo tão melhor! Depois disso ele cantou Mrs. Vandebilt (YEY YEY YEY!!) e todo mundo cantou junto também.
Nessa hora, já estávamos sem beber água há no mínimo quatro horas e em pé, cansados – mas felizes.

923165_527030387360158_1447583287_n

Bom, o cansaço passou quando Eleanor Rigby começou.
Deixe-me explicar: pra mim, no mundo inteiro, só existem duas músicas tão lindas quanto essa (She’s leaving home e Sapato Velho). Essa música me move, me deixa triste e pensativa – mas me inspira também. “Ahh, look at all the lonely people…”. Como é que não chora? Como?

Being for the Benefit of Mr. Kite! começou logo depois. “Esta é a segunda vez que esta música é tocada no mundo”. YEY! E então, em homenagem ao George Harrison, começou Something, e foi outro momento muito lindo do show. Foi a hora que eu olhei para o lado, vi a multidão, vi as luzes, as fotos do George no telão e tantas pessoas cantando… E daí eu chorei de novo. E aí começou Ob-La-Di, Ob-La-Da e foi só amor com o Desmond e a Molly no supermecado!! Igualmente amor em Band on the run e Hi Hi Hi. Já Back in the U.S.S.R. foi uma das que eu MAIS dancei e enlouqueci no show inteiro! Principalmente quando ele canta: “And Georgia’s always on my-my-my-my-my-my-my-my-my-mind!!” Adoro essa música. hahahahahahaha!

934951_573857479321427_1619320827_n

Então, as coisas ficaram mais calminhas… E começou Let It Be. Paul cantando, de olhos fechados e meu olho encheu d’agua de novo. De repente meu bem virou pra mim e falou: “Bem, bem, olha pra trás”… Quando virei, o estádio estava completamente escuro, mas com um milhão de luzinhas de celulares, isqueiros e coisa que o valha. Foi como ter meu universo particular que toca Let It Be num fundo que parece um mar de estrelas. Meu céu de estrelas.
“Thank you for the lights!”
(coloquem em 1:07!)

Depois que as luzes reacenderam, meu céu de estrelas foi para um cantinho cheio de amor da minha memória e acredito que aqui vai ficar por muito tempo, mas daí meu coração começou a pular um pouco. Live and Let Die! “When you are young and your heart was an open book…” começou. Mas então, em “… So live and let DIE!”, de repente, FOGO! FOGO do palco, bem na batida forte da música! E quando começou o instrumental rápido, saíram fogos de artifício da parte central do palco e de cima. Todo mundo enlouqueceu.

Se o meu céu de estrelas antes não tinha sido suficiente, agora eu tinha um céu de estrelas cadentes! E um céu de estrelas cadentes com uma das músicas MAIS incríveis do mundo inteiro como trilha sonora. Esse é um dos momentos do show mais nítidos na minha mente e um dos que eu nunca vou esquecer!

Essa foto não é minha, mas é só pra vocês verem o QUÃO lindo foi!

Essa foto não é minha, mas é só pra vocês verem o QUÃO lindo foi!

♥♥♥

♥♥♥ (essa foto também não é minha)

Paul sentou no piano e começou a tocar Hey Jude. “Lascou tudo”, pensei. Meu coração não aguenta tudo isso não!! Mas agora sim, eu tive a certeza do que é que eu nunca vou esquecer e de qual foi realmente o momento mais lindo do show inteiro. Vocês podem dizer que Hey Jude é manjado, que é modinha ou o que quer que seja, mas NADA se compara à emoção de ouvir essa música sendo tocada ao vivo, quando tem um mar de pessoas ao seu lado e quando tudo parece estar perfeito – exatamente como tem de ser.

Fechei os olhos, mas continuei cantando. “Then you can start to make it better, better, better, better, better, better.. AHHHHHHHHH!” Abri. Luzes! “NA NA NA NANANANA! NANANANA! HEY JUUUUUUUDE!” e todos cantando. Eu realmente, realmente não tenho como descrever o que foi que eu senti nessa hora. Eu só consigo pensar que esse foi um daqueles momentos pelo qual eu esperei desde sempre..

Depois de Hey Jude veio Day Tripper (!!!), Lovely Rita (segunda vez que ele tocou essa música no mundo!) e Get Back. Para fechar com chave de ouro: Yesterday. Uma das músicas mais lindas que existem! Mas como eu sei que já escrevi demais, quero falar da parte que realmente me fez ter a certeza de que tudo valeu a pena. Depois que Yesterday terminou, o Paul e a banda deram tchau e saíram do palco. Tudo ficou escuro. 

“PAUL! PAUL! PAUL!”

E ele voltou novamente, correndo e balançando uma bandeira do Brasil pelo palco, sorridente.

302926_621059171256134_357541486_n

Todo sorridente! (x)

“Acho que vocês querem um pouco de rock, certo? Então tá.”
TANANANANANANANANANANANANA.. Meu coração desparou. “When I get to the bottom I go back to the top of the slide, where I stop and I turn and I go for a ride! Till I get to the bottom and I see you again…”

HELTER SKELTER!!!!! ELE COMEÇOU A TOCAR HELTER SKELTER!!!!!!!!!!!!!! Quando a batidinha começou, eu achei que poderia desmaiar de tanta emoção. Não me entendam mal: se o show tivesse parado antes já teria sido (mais que) lindo. Mas tinham apenas duas músicas que eu realmente, realmente queria ouvir: Hey Jude (que eu sabia que ele ia tocar) e Helter Skelter. Se eu tinha pulado antes, eu pulei dez vezes mais. Se eu tinha gritado antes, foi nessa hora que eu perdi a voz. HELTER SKELTER! Fiquei agradecida por ter ido de lentes, porque se estivesse de óculos tenho certeza de que eles teriam caído, eu teria pisado em cima e nem teria ligado. Meu bem disse que ficou impressionado, porque nunca tinha me visto daquele jeito. FANTÁSTICO!

Para finalizar de verdade, ele tocou Golden Slumbers (que eu sinceramente não prestei muita atenção, porque eu ainda estava com Helter Skelter na cabeça) e depois Carry That Weight, que é muito linda também. E a última música foi… The End.

“And in the end, the love you take is equal to the love you make.”

De novo: como não chorar?

O Paul se despediu em português, dizendo: “É hora de vazar!” hahahahaha e agradecendo infinitamente à banda, e claro, ao público.

Quanto a mim?
EU ZEREI A VIDA! Eu vivi pra ver o Paul McCartney tocar Hey Jude e Helter Skelter na minha frente e eu não poderia pedir mais.

Foi lindo, lindo, lindo!
Tão lindo…

Anúncios

18 comentários sobre “Um pouco sobre um dos melhores dias da minha vida até hoje

  1. Vamos lá, meu comentário vai ser tão grande quanto!
    Primeiramente o seu post fez jus a espera. Era o seu post mais esperado por mim e fiz questão de ler e embarcar contigo.
    E caramba, eu me imaginava lá. Como seria perfeito. Vou dar uma geral sobre suas fotos e claro que amei, só queria sua blusa dos Beatles. rsrsr
    Mas enfim, acho Paul incrível e gato. Rsrsr não me perdoo por eles terem vindo para cá, aqui em Recife e eu não ter ido. Eu tinha conseguido ingresso de graça pela escola, mas não fui porque não tinha 18 ainda e a escola não queria se responsabilizar. Ai, que ódio! Dessa vez ele veio para Fortaleza, e tenho família lá, minha família todA, MAS MESMO ASSIM não deu para eu ir. Então sua ida foi uma forma de eu matar a vontade.
    Eu tinha visto o vídeo dos grilos. HAHA, Paul um fofo!
    Mas enfim, só sei que um dia estarei viva para estar em um show levantando a placa do Na na na na…chorando com Yesterday dando adeus com The end.
    Se não for aqui, que seja em Londres pra deixar tudo ainda mais perfeito.
    Ufa! Falei demais!Ops, escrevi demais!
    Beijooos

    • Minha blusa é linda, não é? Apaixonei ♥♥♥
      E o Paul é lindo! Lindão e fofo e humilde de um jeito que só ele sabe ser!

      Agora… Mesmo? Que triste. ://// Ô, Carol!! Eu no teu lugar tinha virado no tetéu, arrumado liminar na justiça, brigado com meus pais e com a escola ou o que fosse pra ter ido! Mas eu sei que é mais fácil falar do que realmente conseguir ir sendo de menor :/ Ai ai…
      Mas fico feliz de você ficar feliz com isso tanto quanto eu! É TÃO BOM encontrar alguém que divide o sentimento. ♥

      E o episódio do grilo foi genial. GEEEEENIAL!!! hahahahahahahahahaha Tava pensando comigo se fosse tipo, sei lá, o show do Axl Rose. Por mais que eu goste muito dele, aposto que ele teria dado piti, xingado e saído do palco auhauhau mas o Paul só deu nome e ainda foi todo gentil com o bichinho ♥

      Se for em Londres, ME LEVA NA MALA?
      Pra você entender: Carol está para Nova York assim como Anna Júlia está para Londres. Sonho!!

      Adoro comentários gigantes assim, tudo bem ♥
      Beijo, Carol!!

      • HAHAHA.
        Bem, falaram dos ingressos pros alunos NO MESMO DIA. Realmente não tinha como, se não fosse isso iria no cartório. Rsrsr
        Mas enfim, eu vi uns comentários de uma galera tocas falando um mói de coisa chata por causa dos Grilos. Mas achei tão fofo. *-*
        HAHA, então vamos ‘simbora’ pra Londres! Rsrsr
        beijoos

    • E como ficam, menina!
      São daqueles momentos que a gente lembra até ficar velhinho… Pra nunca esquecer, pra sorrir sempre ♥
      Eu também fico! hauhauhauahua Muito obrigada, querida!!

      Beijo enorme em ti *u*

  2. SEMPRE VALE A PENA! Sei exatamente como é passar por essa emoção de esperar e finalmente ver seu cantor lá todo lindão, cantando suas musicas favoritas e aquele amor enorme!!! ♥ amo demais, com certeza vale todo o esforço e espera. Belo post, beijos

    • Amo, amo quando aparece gente que entende um pouquinho do sentimento enorme ♥
      É realmente lindo, né? E sempre vale a pena mesmo!! Tudo o que a gente gasta, o cansaço, o sono, a fome, sede ou o que for. Vale a pena porque é um dia que a gente lembra até ficar velhinho.. Pra ficar gravado como tatuagem!

      Um beijo, querida!!

  3. Ai que dor no coração me deu ler seu post, mas não pelo que vc escreveu, sua experiência foi linda.
    Eu tive que vender meu ingresso um dia antes do show aqui em MG por que peguei dengue dois dias antes do show! Não tenho nem palavras pra descrever minha tristeza, eu forcei tanto pra ir que só vendi o ingresso no último dia pois fui parar no hospital… É tão triste ver o que perdi :(

    • Ô meu Deus, Liz. Gente! Que dor no coração que me deu agora também!
      Por favor, sinta-se abraçada virtualmente. *abraça* Mesmo!
      Que triste, que triste, que triste. :((

      Mas olha, tente não ficar assim! Ano que vem ele volta pro Brasil e com certeza estaremos lá e você irá e vai ter um dia lindo!
      ô, menina ♥

  4. Realmente, esse post foi emocionante em todos os sentidos!!!Como não se emocionar em um show de Paul!!!Ver sua carinha RADIANTE em todas as fotos e ler o que escreveu sobre esse dia mostra o quanto significou para você estar ali!!!!!
    Acho que senti uma invejinha, (no bom sentido por favor,rs)…
    Eu amo The Beatles desde que me entendo por gente…
    Me senti um pouco ali depois de ter lido, olhado as fotos e vídeos!!!
    Beijinhos minha linda, estava com saudades de você por aqui

    • Significou MUITO mesmo, Lih! Foi tão maravilhoso, tão inesquecível. Eu estava realmente muito feliz e fico feliz só de lembrar!!!
      Tudo bem, pode ter invejinha branca hahahahahahaha
      E The Beatles é maravilhoso mesmo, também amo e cresci ouvindo!!

      Ah, sua fofa!!! Eu sempre sinto sua falta quando você some também!!!
      Beijo!!

      • Eu nem sei o que dizer..tô tão maravilhada com tudo esse post o show. O jeito que você descreveu, me fez me sentir lá. Ah que lindo, eu fico impressionada com a simplicidade e humildade do Paul,..e eu queria ter ouvido falar português com aquele sotaque fofo “Ô trem bão” haushaus *-*Pena que não pude viver esse momento..não consegui ver The Beatles..só me resta tentar ver o Paul ou Ringo. ♥
        tô tão sem reação, tô sentindo tanta coisa boa e não consigo descrever nada..sei que você ter amado né, suas cara sorridente nas fotos dizem tudo. aiai ♥

  5. Pingback: {19/52} OH, PAUL! | Fotografando (sonhos)

  6. AI QUE EMOÇÃOOOOOOOO
    quanta foto linda!
    ai Anna, to tão feliz de ler esse post, me senti dentro do show.
    adorei o nome q ele deu pro Louva-Deus
    HDSAODHAOIHDOASI
    amei. Sir Paul sempre divando ♥
    acho que eu ia chorar muito em Hey Jude *-*
    amei, amei, amei.

Olá! Comente e volte sempre! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s